segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Tábua biométrica


Você sabe o que é tábua biométrica?

Tábua biométrica. O nome pode soar estranho, mas as tábuas estão por trás dos populares planos de previdência privada. Ou seja: se você tem um investimento para aposentadoria complementar, saiba que esse instrumento é uma das referências para os cálculos de expectativa de vida feitos pelas seguradoras. Sendo assim, a tal tábua não é tão estranha.

As seguradoras calculam a renda que será paga no futuro, na hora de resgatar o investimento, considerando a estimativa de quantos anos o participante do plano irá viver. Para fazer esses cálculos, as instituições nacionais utilizam tábuas de vida da população dos Estados Unidos, como as chamadas AT 49, AT 83 e, a mais recente, AT 2000 - o número nas siglas refere-se ao ano que cada uma delas foi elaborada. 

O mercado brasileiro não utiliza as tábuas de expectativa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). A utilização da tábua americana tem como meta diminuir as margens de erro nos cálculos. Afinal, a tábua nacional oficial do IBGE mostra a longevidade dos brasileiros em geral. No entanto, os investidores de previdência privada têm um perfil diferente da média da população brasileira e, muito provavelmente, uma expectativa de vida mais elevada. Dessa forma, as tábuas americanas estariam mais alinhadas com a realidade do brasileiro que tem dinheiro para aplicar em previdência privada. 

No entanto, em cada uma das tábuas americanas utilizadas no mercado brasileiro a expectativa de vida é diferente. Na Tábua AT83, por exemplo, um investidor de 45 anos tem expectativa de viver até os 80 anos. Já na Tábua AT 2000, a longevidade salta para 83 anos. 

Essa diferença, aparentemente sem importância, interfere no retorno do investimento. Afinal, quanto maior a expectativa de vida do segurado (investidor), menor será o cálculo do benefício pago pela seguradora. Aqui, não se engane. Companhias que usam tábuas mais antigas, como AT 49, AT 83, podem oferecer um benefício vitalício (pago pelo tempo que o contribuinte viver) maior, mas o risco também é maior. A defasagem pode causar problemas nas contas da empresa. Afinal, se a grande maioria dos participantes dos planos dessa seguradora passar a viver mais tempo do que o previsto nos seus cálculos - conforme determina a tábua biométrica utilizada - ela corre o risco de não conseguir fechar as contas. Por isso, os especialistas recomendam escolher fundos de previdência privada que utilizam tábuas mais recentes, como a AT 2000. 


Tábua padrão

A diferença de critério de cálculo entre as companhias de previdência privada, no entanto, está com os dias contados. A Fenaprevi (Federação Nacional da Previdência Privada e Vida) já elabora uma tábua biométrica nacional que será padrão entre todas as instituições do setor. A previsão é de que a nova tábua comece a ser utilizada a partir do próximo ano. Dessa forma, todas as seguradoras terão o mesmo critério para calcular o valor do benefício dos planos de previdência privada. 

Veja abaixo o  exemplo mais antigo e o mais atual de tábuas biométricas:

Tábuas de cálculo - AT 49

Idade de contratação do plano

Expectativa de vida

45 anos

75, 5 anos

55 anos

77,2 anos

65 anos

80 anos


Tábuas de cálculo - AT 2000

Idade de contratação do plano

Expectativa de vida

45 anos

82,9 anos

55 anos

83,8 anos

65 anos

85,4 anos

Fonte: Unibanco AIG Seguros e Previdência

0 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | cna certification